PSORÍASE

Inserida em: 09/02/2018

Nelson Guimarães Proença

 

Dentre os problemas que surgem, no decorrer do tratamento da psoríase, há aqueles que dependem, essencialmente, do comportamento do paciente.

 

I - O ato de coçar cria um círculo vicioso.

1)      as lesões de psoríase não começam a coçar, espontaneamente;

2)      quando o paciente, casualmente, dá “a primeira coçadinha”, na lesão de psoríase, é desencadeada uma crise de coceira e, agora sim, ele passa a se coçar de modo exasperado;

3)      ele só para de se coçar quando a lesão se torna ardente mas, aí, o estrago já está feito.

 

II -  A pele toda, do paciente, “está preparada” para ter a psoríase.

1)      O que pode ocorrer quando a pele do psoriásico sofre um traumatismo qualquer, um arranhão, por exemplo ? Ao cicatrizar podem surgir, ao longo deste arranhão, novas lesões de psoríase;

2)      a isto os dermatologistas chamam: “o fenômeno de Koebner”;

3)       o ato de coçar é um traumatismo de pele e, por isto, irá provocar agravamento das lesões, por “fenômeno de Koebner”.

 

III – A influência do estresse, sobre o curso da psoríase, é da maior importância.

1)      muitas vezes o paciente está melhorando muito mas, ao entrar em um período de muita pressão, piora consideravelmente;

2)      é preciso então compensar o estresse da vida cotidiana (profissional, social, familiar), com alguma atividade que relaxe: caminhadas, esporte, academia, ioga, etc;

 

CONCLUSÕES: CABE AO PACIENTE:

1)      fazer um grande esforço para conter o impulso de se coçar.

2)      procurar alguma atividade anti-estresse.

 

 



Palavras-chave: Prurido, Psoríase, Fenômeno de Koebner.