ARQUIVOS TIPO ATLAS

ACNE VULGAR PÁPULO-PUSTULOSA LEVE - ACNE GRAU I

Autor: Nelson Guimarães Proença

Inserida em: 14/05/2018


CASO 1 (24209)

Sexo feminino, 22 anos, tem acne desde os 16 anos.  Ao exame foi anotada seborreia intensa, presença de numerosos comedões brancos, pápulo-pústulas em número moderado.  Foi considerada como uma acne “leve” (Grau I).





CASO 2 (47278)

Paciente do sexo feminino, 21 anos, presença de ústulas na face e na região esternal.





Comentários

Acne vulgar representou em nosso consultório privado, de Dermatologia, 7% do total das consultas. Em se tratando de adolescentes, este percentual foi muito maior.

Comedões — popularmente chamados “cravos” — representam a primeira etapa da formação das lesões que caracterizam a acne. A secreção sebácea retida e acumulada no folículo piloso, mais os restos celulares não eliminados, representam um material propício para o desenvolvimento de micro-organismos. Um habitante folicular sempre relacionado com a acne é o Corynebacterium acnes. Acredita-se que desempenha papel preponderante nos aspectos inflamatórios que se sucedem: pápulas, pústulas, nódulos, lesões abcedadas.

Classificamos a acne de acordo com o aspecto clínico predominante: comedoniana, pápulo-pustulosa, nódulo-cística. Os casos acima apresentados são pápulo-pustulosos, leves.

Ao examinar o(a) paciente levamos em conta a presença de: seborreia, comedões brancos, comedões negros, pápulas, pústulas, nódulos, lesões císticas, cicatrizes. Estas lesões se distribuem pela face, dorso e região pré esternal. Habitualmente avaliamos a intensidade das lesões concedendo cruzes, de (+) até (++++). Com isto procuramos classificar a acne pápulo-pustulosa segundo a intensidade, em leve, moderada e severa (ou Grau I a III).


Palavras-chave: Acne vulgar pápulo-pustulosa leve; Acne vulgaris.