ARQUIVOS TIPO ATLAS

ACNE VULGAR CONGLOBATA GRAU IV

Autor: Nelson Guimarães Proença

Inserida em: 14/05/2018


CASO 1 (14737)

Um rapaz com 16 anos procura a consulta por apresentar acne desde os 14 anos. sempre foi uma forma muito grave, com nódulos que abcedam e drenam pus. Está com múltiplas cicatrizes inestéticas, na face, dorso e tórax. Este paciente foi acompanhado antes da introdução da isotretinoina, sendo um caso de difícil controle.







CASO 2 (37808)

O paciente de 29 anos tem acne desde os 15 anos de idade, porém sempre moderado. Há 8 meses as lesões subitamente se agravaram, de modo progressivo, formando nódulos fortemente inflamatórios e abcedados. Evoluem deixando cicatrizes muito inestéticas. Foi tratado com a associação isotretinoina e minociclina, tendo uma melhora lenta e progressiva. Após 6 meses de tratamento estava completamente controlado.





CASO 3 (26297)

Consulta um rapaz de 18 anos, informa que tem acne desde os 14 anos. Tem piorado progressivamente, apesar dos tratamentos que já fez. Ao exame eram incontáveis as lesões nodulares com tendência a formação de abcessos. Foi classificado como a forma mais grave de acne, Grau IV (também chamada Acne conglobata).





Comentários

Acne vulgar representou em nosso consultório privado, de Dermatologia, 7% do total das consultas. Em se tratando de adolescentes, este percentual foi muito maior.

Comedões — popularmente chamados “cravos” — representam a primeira etapa da formação das lesões que caracterizam a acne. A secreção sebácea retida e acumulada no folículo piloso, mais os restos celulares não eliminados, representam um material propício para o desenvolvimento de micro-organismos. Um habitante folicular sempre relacionado com a acne é o Corynebacterium acnes. Acredita-se que desempenha papel preponderante nos aspectos inflamatórios que se sucedem: pápulas, pústulas, nódulos, lesões abcedadas.

Classificamos a acne de acordo com o aspecto clínico predominante: comedoniana, pápulo-pustulosa, nódulo-cística. Os casos acima apresentados são nódulo-císticos, severos.

Ao examinar o(a) paciente levamos em conta a presença de: seborreia, comedões brancos, comedões negros, pápulas, pústulas, nódulos, lesões císticas, cicatrizes. Estas lesões se distribuem pela face, dorso e região pré esternal. Habitualmente avaliamos a intensidade das lesões concedendo cruzes, de (+) até (++++). Com isto procuramos classificar a acne em graus de intensidade, que vão de (I) até (IV).

A forma nódulo-cística é a que pode evoluir com aspecto clínico mais grave, com formação de nódulos abcedados, por vezes confluentes, que deixam sequelas cicatriciais graves. Nesta forma mais grave o comprometimento clínico de outros sistemas pode estar presente — ACNE FULMINANS — ou pode estar ausente — ACNE CONGLOBATA.


Palavras-chave: Acne conglobata; Acne vulgaris.